segunda-feira, 3 de setembro de 2012

RETOMADA DE TEMAS


Em primeiro lugar, peço desculpas a meus leitores por não estar publicando os textos nos dias combinados. Está difícil lembrar que chegou o dia e é hora de publicar. Está difícil também deixar de lado a história de Toni para escrever estes textos e deixá-los preparados para a publicação. Mas já entendi que não basta anotar o compromisso na agenda, é preciso depois olhar para a agenda, então espero não atrasar novamente a partir de agora.

Mas, indo ao que interessa, lembro que já contei aqui que, como meu processo de criação começa no inconsciente, muitas vezes retomo certos temas para serem trabalhados de forma diferente, como se buscasse outra solução, ou até da mesma forma de novo, numa espécie de confirmação da solução encontrada.

Em Rosinha, fui capaz de identificar alguns temas que já foram abordados em outras histórias. Tenho revisões de temas de O canhoto e Fábrica, principalmente. Os temas recorrentes que identifiquei se relacionam ao relacionamento entre Toni e Rosa; entre Toni e Letícia; a forma como vou construindo a caracterização de Rosa; a jornada do herói, que tanto Nicolaas quanto Toni empreendem. Provavelmente há outros temas, que ainda não identifiquei, e que inclusive não vou conseguir identificar, por tratarem de questões gravadas apenas no meu inconsciente.

É interessante ver como as idéias se repetem com uma roupagem diferente, e o que é visível para mim pode não ser perceptível a outras pessoas. Identificar temas recorrentes é importante pois podem significar questões de auto-conhecimento que eu preciso trabalhar melhor em mim. 

2 comentários:

  1. Olá.
    Você comentou no meu blog, já tem um tempinho (tempão, na verdade, rs) e eu só vi hoje.
    Vim aqui agradecer pela correção.

    "É interessante ver como as idéias se repetem com uma roupagem diferente, e o que é visível para mim pode não ser perceptível a outras pessoas. Identificar temas recorrentes é importante pois podem significar questões de auto-conhecimento que eu preciso trabalhar melhor em mim."

    Achei bem interessante isso que você escreveu, muitas vezes (na maioria em momentos críticos) escrevo coisas que aos olhos de outras pessoas não possuem significado e/ou coerência alguma, mas para mim diz tanto que nem sei explicar.
    As palavras são mesmo traiçoeiras, rs.

    Tô seguindo aqui!

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camila
      Realmente, deve ter tempo que estive no seu blog, porque nem lembro qual texto li. Desculpe a esclerose rsrsrsrsrsrs
      Que bom que você gostou do texto e obrigada por seguir.
      Um abraço

      Excluir

Receba os textos no seu e-mail

Outros textos interessantes

Um pouco sobre mim

Minha foto
Mestre em História e Crítica da Arte pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Dedica-se à literatura desde 1985, escrevendo principalmente romances. É Membro Correspondente da Academia Brasileira de Poesia - Casa Raul de Leoni desde 1998 e Membro Titular da Academia de Letras de Vassouras desde 1999. Publicou oito romances, além de contos e poesias em antologias. Desde junho de 2009 publica em seu blog textos sobre seu processo de criação e escrita, e curiosidades sobre suas histórias. Em 2015, uniu-se a mais 10 escritores e juntos formaram o canal Apologia das Letras, no Youtube, para falar de assuntos relacionados à literatura.

Quer falar comigo? É aqui mesmo.

Nome

E-mail *

Mensagem *

Amigos leitores (e escritores)